Candeias Bahia

Este é o único e completo blog da cidade de Candeias Bahia, a terra do petróleo, dos morros e do comércio; Nesse conteúdo você vai conhecer a cultura, história e pontos turísticos da cidade, sem contar também que o alvo dessa página é fazer com que os candeienses e visitantes desse blog meditem sobre o meio ambiente e como cuidar da natureza.
A Palavra candeias é o plural de candeia, que quer dizer: candeeiro de óleo ou de cera; É Uma lâmpada formada por um recipiente de barro ou de folha, munida de um bico pelo qual passa a extremidade de um pavio, que se enche de óleo para queimar; Esta é a razão pela qual chamamos a cidade de Candeias de cidade das luzes, mas segundo o historiador de nossa cidade, o Professor Jair Cardoso, o nome da nossa cidade foi devido à presença em abundância de madeira por nome candeia, a qual era usada pelos religiosos que moravam próximo ao Rio São Paulinho para fazer tochas em caminhada à igreja matriz da cidade; A cidade é de topografia irregular, estilo favela e com morros e ladeiras; Candeias possui uma população de mais ou menos 80.000 habitantes, numa área de 265,555 km². Fica a beira da BR 324 e se liga com a mesma pela BA-522, Há 40KM de Salvador. A População é de maioria afro-descendente e o motivo você vai saber logo a seguir. Agora vamos falar um pouco da história do município:
Tudo começou no século XVI, a partir das terras de Caboto, quando o lugar foi tomado pelos portugueses, dando assim origem às histórias dos engenhos de Freguesia e Matoim, engenhos esses responsáveis pelo crescimento populacional da cidade, com o aparecimento do ciclo da cana-de-açúcar, onde Caboto foi um dos primeiros lugares do Brasil na produção da economia açucareira, quando vários escravos foram trazidos da África para a região de Candeias pelos portugueses, às terras de Caboto, e assim, foram eles explorados nessa mão-de-obra, produzindo a substância que era comercializada e vendida a vários comerciantes, não somente da Bahia, mas de várias partes do país e do mundo, principalmente no mercado Europeu, fazendo de Candeias um lugar conhecido nacionalmente devido a esse tipo de trabalho.
O Centro da cidade de Candeias teve origem a partir de um dos engenhos pertencente aos portugueses, o Engenho Pitanga, que estava localizado próximo à igreja matriz, e em 1720 sob a direção de alguns líderes religiosos, produzia o melhor açúcar da Bahia, exportando assim o produto ao país de Portugal. Surgem assim, as primeiras ruas da cidade, sendo elas: Largo da Igreja, Rua dos Milagres, Rua Direita, Rua do Birreiro, Rua do Tamarindo, Largo da Feira e Rua da Estação. Nos dias de Hoje, essas ruas encontram-se renomeadas, mas não citarei os nomes atuais das mesmas nesse parágrafo.
Em 14 de Agosto de 1958, Candeias foi denominada cidade com a emancipação política, separando-se assim das terras de Salvador, de onde o município era subúrbio, e o que colaborou mais para Candeias tornar-se cidade foi a descoberta do petróleo em 1941, onde o município passou a ser mais valorizado e mais ainda conhecido, o que antes disso no ano de 1939, no bairro do lobato, em Salvador, os moradores usavam uma lama preta para ascender as suas lamparinas, chegando assim ao conhecimento de algumas autoridades, que desceram imediatamente para conferir se essa lama preta era o ouro negro, o petróleo, e ao se confirmar que era o petróleo mediante as pesquisas laboratoriais, tentaram extrair em grande quantidade, mas não teve sucesso, e a mesma sonda que puxou o petróleo no bairro do Lobato descia para Candeias no ano de 1941, onde perfurou um poço na fazenda São Paulinho e foi de onde jorrou o valioso petróleo, formando assim o poço C-1, em Candeias, primeiro produtor comercial de petróleo em território brasileiro; A Fazenda São Paulinho era de propriedade do Coronel José Barbosa de Ferreira que atuou na cidade de Candeias como vereador, e seus filhos Ubaldo e Egberto de Carvalho ferreira formaram a idéia de emancipação política do município, assim, tomaram posse dessa liderança e anos depois Egberto e Ubaldo foram eleitos prefeitos da cidade de Candeias, logo após o primeiro prefeito Francisco Gualberto Dantas Fontes, e com isso, começou assim, a história da política de Candeias. Após o poço C-1, foram localizados muito mais poços de petróleo na região deixando assim a cidade de Candeias conhecida Como terra do petróleo, dando assim, origem à Refinaria Landulpho Alves, que fica próximo a Candeias fazendo parte da cidade de São Francisco do Conde.
Depois da descoberta do petróleo, Candeias veio se desenvolvendo ainda mais com a implantação de várias fábricas e portos, a exemplo do Porto de Aratu, que é responsável por 60% de toda a carga movimentada em modal marítimo na Bahia, e também o Porto da Ford, que é o primeiro porto do mundo pertencente a Ford construído pelo governo da Bahia e é a primeira vez na história que a montadora tem um porto próprio.
Na Cidade de Candeias o comércio vem sempre crescendo como sempre, mas nesses últimos tempos, nos anos de 2009 e 2010, com o desemprego, por incrível que pareça, alguns moradores da cidade tem se deslocado para outros estados em busca de trabalho, tornando assim o comércio um pouco mais fraco, mas com isso ainda movimentado, mediante aos distritos existentes na cidade e as outras regiões vizinhas como: São Sebastião do Passé, São Francisco do Conde, Madre de Deus e outras, que escolhem o comércio da nossa cidade como prioridade por ficar mais próximo do que a região de Salvador. Hoje em 2011, o município arrecada como renda mensal de 15 a 20 milhões, sendo isso resultado do petróleo, comércio, impostos e outros.
São estes alguns bairros e distritos de Candeias: Dom Avelar, Nova Candeias, Sarandí, Santo Antonio, Centro, Malembá, Pitanga, Nova Brasília, Maria Quitéria, Mamão, Caboto, Passé, Caroba, Pasto de Fora, Menino Jesus, Malembá de Baixo, Urbis I, Urbis II, Pindoba, Santa Clara, Areias, Massuím, Cedro, Madeira, e outros mais.
Como chegar a Candeias: Metropolitana de Salvador. Salvador (S), São Francisco do Conde (N), Simões Filho (L) e Madre de Deus (O). Sair de Salvador pela BR-324 em direção à Feira de Santana e seguir por 32 km até o entroncamento com a BA-522. A partir daí, mais 10 km até a cidade de Candeias.
Vale lembrar que, os pontos turísticos da cidade não se encontram no centro ou em bairros próximos, mas sim na redondeza da cidade, ou seja, nos distritos e partes mais afastadas, no centro você só irá encontrar comércio e movimento intenso de carros e motos.
Conheça também os prefeitos que governaram Candeias em ordem: Dr. Francisco Gualberto Dantas Fontes, Egberto de Carvalho Ferreira, Antonio Patterson de Melo Pereira, Alfredo da Silva serra, Dr. José Inaldo de Oliveira, Dr. Matheus Fainstein, Dr. Celino Gomes da Silva, David dos Santos Caldeira, Eliodoro de Jesus, David dos Santos Caldeira (Eleito Novamente), Maria Angélica Juvenal Maia de Queiroz, Antonia Magalhães da Cruz (em seguida Reeleita), Maria Célia de Jesus Magalhães Ramos, Maria Angélica Juvenal Maia de Queiroz (Atual Prefeita e eleita mais uma vez).
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Primeiro Poço Comercial de Petróleo do Brasil - C1


Em 1930, quando dois abnegados baianos, Manoel Bastos, topógrafos, engenheiro civil, pesquisador autodidata em geologia, e OSCAR Cordeiro, na época, presidente da bolsa de mercadoria na Bahia, crentes com suas convicções de que nesse estado havia petróleo, não descansaram enquanto não viram o ouro negro jorrar no lugar conhecido como Lobato, subúrbio de Salvador, mas não teve êxito, mas para muita gente o petróleo nasceu de verdade foi em Candeias, veja como: Depois do grande sinal que houve no Lobato em Salvador, de onde fluiu o Petróleo, os extratores pensaram da seguinte forma: agora, vamos atrás da acumulação; O Que fez depois do poço de Lobato foi procurar a acumulação comercial dele. A mesma sonda que perfurou em Lobato deslocava-se para Candeias, na Rua da igreja, quando chegava uma carreta com um guincho a sonda Nº 04 Oilwell, movida a diesel, sendo puxado por um trator tendo o auxilio de várias juntas de bois. A carreta deslocava-se para a fazenda do Coronel José Barbosa Ferreira, Fazenda São Paulinho, em área da atual planta de gás natural, onde perfurava o poço no dia 29 de Junho de 1941; com isso, jorrou o ouro negro e nascia o poço C-01 (Candeias-01) o primeiro poço comercial do Brasil. Era plena convicção do geólogo Pedro Moura quanto ao acerto de uma locação em Candeias.

Na foto o presidente Getúlio Vargas exibindo em sua mão a marca do ouro negro (o Petróleo) na cidade de Candeias, em 23 de Junho de 1952, onde foi homenageado com um almoço, e aproveitando o discurso de engenho em Candeias, bem na zona petrolífera, fez seu discurso oficial em defesa do monopólio estatal do petróleo e da criação da Petrobrás, que repercutiu em todo o Brasil, e retornou novamente a Candeias em 03 de Outubro de 1953, para tratar de assuntos sobre a decisão da criação da Petrobrás, que hoje está espalhada por todo o Brasil como Empresa de Alto Nível. Saiba Mais
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Canal de Cotegipe


Cotegipe é o nome de um canal que margeia algumas localidades da cidade Candeias começando pela empresa Dow Química (Atual Dow Brasil), Porto da Ford e Porto de Aratu, sendo que esses dois portos recebem visitas de diversos navios estrangeiros através desse canal, pois a finalidade do Porto de Aratu é a de exportar produtos industrializados do CIA e do Pólo Petroquímico de Camaçari – BA, e a finalidade do Porto da Ford, é que, ao invés de transportar carros por meio de caminhões-cegonhas, preferiu transportar os veículos com mais facilidade sendo que não tem como congestionar o trânsito das cidades; O Canal de Cotegipe Margeia também algumas localidades da cidade de Salvador tais como: Moinho de Aratu, Base Naval de Aratu, ilha de Maré e outras regiões próximas. O Nome do canal foi dado em homenagem ao Barão de Cotegipe, um dos administradores do Engenho Freguesia (Atual Museu Wanderley Pinho) no ano de 1877, sendo que, todos os engenhos existentes na região eram destinados à produção de açúcar. O passeio a barco, iates e lanchas neste local é bastante interessante para quem deseja conhecer as empresas que ficam à beira mar na baía de Aratu, e conhecer também a história do local e da antiga e histórica enseada de Caboto, como viviam as pessoas há séculos atrás, quem convivia aqui e como se encontra hoje os monumentos históricos da cidade de Candeias, monumentos esses onde a história relata os sofrimentos dos escravos na época da produção açucareira comercializada pelos portugueses aqui na região de Caboto - Matoim, e mais a frente nos deparamos com mais um distrito turístico da cidade, que é o distrito de Passé, e ao Norte do distrito de Passé, a bela ilha do Topete, residida pelo empresário Eduardo Valente; Resumindo: Todo o Turismo começa a partir desse canal principalmente para quem vem navegando pelas águas da baía de Salvador.
No Passeio pelo Cotegipe, de Salvador à Candeias, você irá se deparar com lugares belos e lindos panoramas, onde serão alguns deles citados nesse blog e assuntos bastante interessantes sobre o lugar relatando história, turismo e meio ambiente; Na primeira imagem, uma paisagem que muitos dos moradores do bairro Malembá conseguem avistar mesmo de longe, fica bem próximo aos subúrbios de Salvador Bahia e divisa também com o município de Simões Filho, que é também uma das regiões metropolitana de Salvador; Vale a pena você explorar esse blog e conhecer a história da cidade e seus pontos turísticos.

O Canal é bastante explorado por pescadores das regiões de ilha de Maré, Passé, Caboto, Mapele, Simões Filho e outras, que vem ao local navegando com barcos e canoas aproveitando o momento oportuno para extrair do lugar peixes e outros mariscos. Na Imagem acima, você pode ver pescadores da região de ilha de Maré, que neste mesmo dia partiram na madrugada para jogar redes e tarrafas na captura de peixes.
Fonte: Blog Candeias Bahia
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui Baixe Videos do Youtube Sem Programa Através do Site http://vixy.net/

Passé - Terra do Peixe, da História e da Moqueca.


O Nome Passé vem de origem do Tupi, dos índios Tupinambás, onde os mesmos habitavam nessa localidade até o dia em que chegaram aqui os portugueses, que tiveram confrontos com essa tribo indígena e sendo muitos dos índios mortos pelas tropas do Governador Mem de Sá, vindo assim os portugueses e se apossando das terras desse local.
Nos anos de 1563, logo após a doação das sesmarias (Imensos lotes de terras) na região de Caboto, chegou à vez de Passé, onde padres jesuítas também foram beneficiados com esses imensos lotes de terras, afim de que a plantação de canaviais e a construção de engenhos fossem mais prósperas na região de Candeias.
Nesse tempo, Passé era um distrito de Salvador, assim como Caboto (Matoim), quando Candeias ainda era residida por poucos habitantes, mas com a descoberta do petróleo em 1941, o que era chamado de distrito da capital passou a ser cidade independente em alguns anos depois, sendo assim Passe e Matoim áreas pertencentes a Candeias, ou seja, distritos de Candeias.
Passé é um distrito de Candeias que é localizado à beira mar e é conhecido pela pesca e pela tradicional moqueca de peixe e mariscos variados, onde tem atraído diversos turistas e pessoas da própria região de Candeias.
Em sua chegada você se depara com paisagens belíssimas com vista da região do Coqueiro Grande, Pitinga, Caboto, Salvador, Refinaria Landulpho Alves, Porto de Aratu e algumas ilhas próximas. O bairro está dividido em várias partes que recebem o nome de: Querente, Roça Grande, Mucunga, Restinga, Gamboa, Caeira e Rio do Cunha.
Na primeira foto, a ponte de onde se desloca barcos para outras regiões próximas ao distrito; A Região é um lugar bom e descontraído pra quem gosta de tomar um banho de maré na Gamboa e pra quem gosta de pescar nas regiões diversas, ou até mesmo comer uma gostosa moqueca de camarão e muito mais; Esse é o lugar apropriado.
Na foto abaixo, a pedra conhecida como Pedra do Sapo e onde um dos candeienses preferiu construir uma de suas casas com vista previlegiada para Caboto, Porto de Aratu, e Ilha do Topete. Fica na região da Gamboa, localidade de Passé.

Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui


Pitinga - Uma Das Áreas De Pesca Da Cidade


Como Vocês estão vendo é um panorama muito lindo tanto de cima como de perto, e dessa forma, você consegue visualizar do Morro do Urubú e de algumas outras partes da cidade, e nessa mesma fotografia dá pra se avistar algumas ilhas próximas à nossa cidade tais como: ilha dos Frades e ilha de Itaparica. Nessa localidade chamada Pitinga concentra-se um dos maiores Manguezais de Candeias; é daqui que muitas famílias pobres tiram o seu sustento na pesca e na caça também, e também muitas pessoas usam a pesca como um lazer e uma distração. Aqui existe uma diversidade de frutos do mar como: siri, caranguejo, camarão, ostra, rala côco, peixe de várias espécies, e outros mariscos, apesar de muitos produtos químicos terem sido derramados pela redondeza dos manguezais de Candeias, pelos navios e fábricas que se instalaram no município, ainda existe uma boa quantidade dessas espécies. Preservem Essa área, por favor!
Por volta dos anos de 1960/70, essa área era ocupada por moradores que hoje residem no centro e bairros de Candeias principalmente o bairro do Malembá e Mata cavalo. As Famílias que residiam nessa localidade eram "esquecidas pelas autoridades da cidade", mas talvez pelo fato de a Petrobrás dá assistência e auxílio ao pessoal da região, porque muitos que sentiam a necessidade de ir a lugares mais distantes ou que necessitavam de transportes para ir ao médico, a Petrobrás disponibilizavam seus transportes para o socorro imediato, mas alguns também optavam para o transporte que rodava de Passé para o Centro de Candeias quando não achavam o transporte gratuito da Petrobrás.
A Maioria dos moradores que residiu na Pitinga, hoje residem na rua do poço, no bairro Malembá, Os moradores desse local tinha diversas fontes naturais, bicas e minadores de onde abastecia os seus garrafões e baldes para o consumo, inclusive nessa época a Petrobrás criou uma bica artificial para os moradores terem mais água disponível para o consumo. O povo também plantava uma variedade de frutas e mandioca para a fabricação de farinha, pois no local eram bem visíveis as casas de farinha, que hoje já não existem nem mais as ruínas, e as frutas como: banana, goiaba, cajá, jenipapo e outras, eram catadas pelos moradores da região e passava assim para os vendedores interessados, que descia para a capital Salvador e lá vendia as frutas repartindo assim o dinheiro com os mesmos que ajudaram a colher as frutas.
Falando de saúde no local da Pitinga, quando as pessoas sentiam a necessidade de procurar um médico para auxílio, as pessoas descia para um lugar chamado campo, que ficava perto da região, encontrando lá tinha um postinho de saúde que atendia a população carente.
Por volta do ano de 1972, a Petrobrás resolveu indenizar as famílias do local por causa da descoberta de novos poços de petróleo na região, e com isso os moradores reuniu-se para catar as mandiocas dos pés urgentemente, para não perder a safra, pois a Petrobrás mandaria passar diversas maquinas para aplanar o lugar, e foram sacos e mais sacos de farinha trazidos da região da Pitinga para a rua do poço no Malembá pelo Sr. Malaquias, Srª Maria Aguiar e outros desta mesma família.

Na imagem acima, o local da Pitinga conhecido como Manguezal dos três tubos; As pessoas nomearam esse lugar de três tubos que na verdade são oito tubos e a impressão que dá olhando para a imagem é que a água é meio enferrujada, mas não, foi pelo motivo do cair do sol, e muitos sabem também que as águas do mangue não são tão límpidas como as águas das praias. É Um Manguezal que fica na parte central da Pitinga, muito rico em frutos do mar, principalmente o caranguejo e o siri de mangue que é muito extraído desse manguezal pelos vendedores de caranguejo da região; são quilômetros dessas pequenas árvores que chamamos de manguezal e ao seu pé uma lama, onde vivem diversos tipos de mariscos e tem dado muitos frutos para nós; Aqui vivem os caranguejos, siris, ostras, sururus, gaiamuns, aratu e outros mariscos, e sem contar que a lama do manguezal faz muito bem pra pele humana. Esse Um canal bem estreito que atravessando damos de cara com a região do Coqueiro Grande, junto a Refinaria Landulpho Alves, onde também há uma grande área que serve de pesca para os marisqueiro da cidade de Candeias e São Francisco do Conde e no momento da fotografia o canal se encontrava bem seco sendo uma boa oportunidade para os pescadores e marisqueiros atravessarem o canal a pé. Muitos dos catadores de caranguejo que comercializam na curva do bombeiro (Estrada Candeias/Madre de Deus) retiram a pesca desse lugar e aqueles também que residem no bairro do Malembá, por motivo dessa área ficar mais próximo ao bairro. Preservem Esse Lugar, pois muitas das vezes já me deparei com descuidos ambientais da parte de alguns moradores da nossa cidade. Leia atentamente a tabela postada nesse blog a respeito da decomposição de lixos nos mares e rios.

Essa é a pista que dá acesso ao distrito de passé, que também faz parte da Pitinga, na verdade aqui já é a Pitinga. É uma pista bem verde e com uma paisagem bastante bonita rodeada de manguezais e matas, sem contar com os Poços de Petróleo que ficam localizados nessa área. Logo depois da UMI, à primeira esquerda você tem acesso a esse caminho, mas muitos dão prioridade em usar a outra pista por ser mais movimentada em termo de pessoas e veículos e por se sentirem mais seguros. Na imagem abaixo, apenas um pedacinho do canal da Pitinga em forma de curva, uma beleza difícil de se observar pelo fato de ser uma vista aérea.

Fonte: Blog Candeias Bahia
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Coqueiro Grande ( Candeias / São Francisco )


Essa Região chamada Coqueiro Grande, é a região mais farta em frutos do Mar, principalmente conhecida como a região do caranguejo, principal marisco extraído desse lugar, com uma grande extensão de manguezal que vai da Pitinga até o Portão 3 da Refinaria landulpho Alves rodeando assim até a divisa com Passé. É uma região composta de panoramas belos tanto de um lado como de outro, região juntinha de Candeias, mas pertencente ao município de São Francisco do Conde, o que divide essa região de Candeias é apenas um canal, onde muitas pessoas do distrito de Passé e outros bairros de Candeias navegam com suas canoas e barcos em busca de pesca; Raramente encontramos alguém do município de São Francisco pescando por aqui pelo motivo da distância que se encontra o lugar, a não ser pessoas do distrito de Caípe, região próxima ao local, que sempre passam por aqui navegando. Nessa região existia uma vila de moradores que viviam da pesca, ainda por volta do ano de 1984, logo após foram indenizados pela Petrobrás para ampliação da RLAM. Na primeira imagem, o lindo cais, onde nos fins de tarde ganha mais aparência com o entardecer, e para quem gosta de fotografar cenas de natureza, dá para extrair muita coisa bonita em volta dele, como essa próxima fotografia:

Para Você ter acesso a esses Vários lugares, ao invés de você passar pela curva do bombeiro indo para Madre de Deus, tão somente você segue direto e entra a primeira esquerda numa pista asfaltada. Fica próximo ao portão 3 da Refinaria Landulpho Alves e muita gente já pescou aqui inclusive eu desde a minha infância, já pesquei muitos peixes aqui; Essa área é bem farta em Caranguejo e peixe até a um tempo atrás, mas creio que nada mudou, pois na última visita que fiz para tirar essa fotografia eu avistei tantos caranguejos que fiquei surpreendido com a quantidade vista, mas pra você que costuma ir pescar nesse lugar tenha cuidado para você não trazer a pesca proibida como: caranguejos em fase de crescimento e peixes minúsculos. Para você ter acesso a essa área basta pegar o ônibus Candeias/Ferrolho, que é via portão 3 e esse lugar fica de uns 300 metros antes do portão e até chegar à ponte anda mais de 1km, numa área bem deserta, mas com panoramas bonitos. Boa Pesca pra você.

Esse é um dos caminhos que nos leva até o cais, uma pista bem arborizada por pinheiro e eucalípto, são comuns nessa região paisagens como essas, fotogênicas e verdes, e bom para quem quer fazer uma boa caminhada no meado da tarde até o sol se pôr, mas muito cuidado ao visitar o local pelo motivo do banho de mar, pois com a maré cheia, muitos não consegue visualizar a lama a olho nu, e muita gente se arrisca às vezes em querer pular do cais abaixo e corre o risco de se prender com pé nessa lama e o risco está aí, porém seja sóbrio e tenha cuidado, só tome banho onde a água é mais límpida e mais transparente. Na Próxima imagem Dá pra se ver o cais por completo:

Fonte: Blog Candeias Bahia
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Porto de Aratu


O Porto de Aratu, É um portobrasileiro localizado em Candeias, no estado da Bahia, próximo à entrada do canal de Cotegipe, em frente à costa leste da Ilha de Maré.
O porto é responsável por 60% de toda a carga movimentada em modal marítimo na Bahia, portanto possui grande importância para a economia da Bahia, pois serve como meio de escoamento da produção e da entrada de produtos para o Pólo Petroquímico de Camaçari, o Centro Industrial de Aratu (CIA) e o Complexo da Ford de Camaçari.
Produtos líquidos, gasosos e granéis sólidos são as cargas movimentadas, através de uma infra-estrutura de quatro terminais, sendo um para produtos gasosos (TPG), com berço de 180 metros; outro para granéis líquidos (TGL), com dois berços que perfazem 340 metros e dois para granéis sólidos (TGS), com três berços, numa extensão de 366 metros.
O Terminal de Granéis Sólidos (TGS) é composto de 2 piers: pier I possui 02 berços, sendo um destinado à exportação (magnesita e uréia) com 153 metros de extensão, e o outro para importação (concentrado de cobre, alumina, carvão, enxofre, fertilizantes, manganês e rocha fosfática) com 202 metros de extensão; o pier II, com um único berço de 210 metros de comprimento, atende, de forma complementar, ao pier I nas importações dos granéis sólidos.
O TGS conta no pier I com sistemas de embarque e desembarque de granéis sólidos constituído de 01 descarregador de navios com 970t/h de capacidade, e 02 carregadores de navios 1200t/h e 700t/h de capacidade. Esses equipamentos estão ligados às respectivas áreas de estocagem através de sistemas de correias transportadoras. No pier II há um guindaste tipo canguru de 16t operando com grabs.
O terminal de Granéis Líquidos (TGL) é constituído de um pier com atracação em ambos os lados (02 berços), através dos quais é feita a movimentação, mediante bombeamento de/para navios, dos seguintes produtos líquidos: soda cáustica, dicloretano, MEG, estireno, MTBE, benzeno,etc.
O Terminal de Produtos Gasosos (TPG) é composto de um pier com apenas um berço, onde atualmente é realizado o bombeamento dos seguintes produtos: amônia, butadieno, propeno, etc. Este pier para atendimento a navios de grande porte visa atender a movimentação de matérias primas (nafta) para a Copene.
O Porto foi construído nos anos de 1971 a 1975, sendo Inaugurado pelo Presidente João Batista Figueiredo. A Partir da constituição da Codeba, as instalações de Aratu foram Incorporadas ao patrimônio da companhia, passando o governo baiano a compor seu quadro de acionistas.
PORTO DE ARATU
Via Matoin, s/n – ZIP CIA - Baía de Aratu
CEP: 43800-000 – Candeias (BA)
Tel.: (71) 3602-3135
Telefax: (71) 3602-3116
Saiba Mais
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Porto da Ford


O Porto, é o primeiro porto do mundo pertencente a Ford construído pelo governo da Bahia e é a primeira vez na história que a montadora tem um porto próprio.
Segundo Edson Molina, gerente de logística da América do Sul da montadora, o terminal terá papel importante no escoamento da produção da Ford de Camaçari e servirá também para importação de veículos da marca para o mercado brasileiro. "Hoje, usamos para exportar e importar carros ao porto de Salvador, a 50 km de distância da fábrica. Além da menor distância, não haverá necessidade de passar com caminhões-cegonha pelo centro de Salvador, como ocorre atualmente.
O Terminal Miguel de Oliveira, que é o nome do Porto, fica no Canal de Cotegipe, próximo a Caboto, e tem a capacidade de abrigar 6.024 veículos; No primeiro embarque feito neste porto, 1.750 carros fabricados aqui foram enviados ao México. Hoje, na lista das exportações, o Ford EcoSport lidera com 55% enquanto os Fiesta Sedan e Hatch vêm em seguida com 32% e 13%, respectivamente. Todas as operações são controladas por um moderno sistema de radiofrequência capaz de localizar qualquer carro em segundos.Foi mais um presente que a cidade de Candeias recebeu completando nesse ano de 2010, 5 anos de existência do porto, e o mesmo fica bem próximo ao Porto de Aratu, poucos metros apenas.
Com padrões de segurança e qualidade de operações equivalentes aos dos melhores portos do mundo, o Miguel de Oliveira recebe navios de até 200 metros. Ele conta com pátio de 119 mil metros quadrados e capacidade para mais de seis mil veículos, além de um píer exclusivo com 195 metros de comprimento. Para embarque e desembarque dos veículos, há dez baías com rampas onde podem operar até dez caminhões-cegonha ao mesmo tempo. Na próxima foto, de autoria de Nilton Souza, Você Consegue avistar o Porto vazio sem nenhum veículo em seu término de construção.

Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Prainha da Boca do Rio


Localizada no canal de Cotegipe, ao fundo do porto de Candeias (Conhecido mundialmente como Porto de Aratu), A Prainha é um lugar bem visitado por pessoas de várias regiões da Bahia, por ser um lugar bem reservado e um pouco distante da cidade e pelo fato também de algumas pessoas virem a Candeias conhecerem os dois portos: o de Aratu e o da Ford; O Espaço dela tem um pouco mais de 100 Metros de Comprimento, a quantidade de areia de praia é de poucos metros até a margem, apenas uns 15 metros e com isso, é mais aproveitável banhar-se com a maré cheia, ou ao pelo menos na metade da enchente; Um local apropriado para se praticar Esportes Náuticos com suas águas límpidas e verdes. Às Margens da Boca do Rio, viveram os índios Tupinambás, antes mesmo da descoberta do Brasil, mas não houve indícios de confrontos nessa área dos índios com os brancos em posse das terras. Apesar de terem construídos os portos, algumas poucas famílias ainda residem nessas proximidades até os dias de hoje, e segundo as informações de alguns nativos da região, havia no passado algumas fontes de água doce no local e vários minadores, mas, por volta do ano de 1977/78, com a construção do Porto de Aratu e algumas empresas implantadas no local como a Dow Química e Mendes Junior, essas fontes foram destruídas e deixaram de existir; Somente no final da Prainha havia duas fontes onde as pessoas aproveitavam a água para seus gastos. No local havia também armazém, escola para crianças e adolescentes, barzinhos (aqueles que chamamos de bibocas), e um caminho repleto de bananeiras que dava acesso ao distrito de Caboto. Do outro lado da Boca do Rio, está a base naval de Aratu, onde é proibido o acesso de pessoas estranhas, mesmo pra quem vai de transportes marítimos ou passa pelo local, necessário é navegar apenas pelo canal e não próximo à base, e vale também lembrar que depois da base, está a praia de Inema, local paradisíaco onde todos os anos quando a Bahia recebe a visita dos presidentes Lula e Dilma Rousseff, os mesmos se alojam neste local por alguns dias. Nos Tempos passados, os nativos da Boca do Rio quando sentia a necessidade de auxílio ou socorro tratando-se da parte hospitalar e outras necessidades, não havia posto médico e nem hospital em Caboto, que é a região mais próxima, então as pessoas recorriam à Base Naval solicitando transportes para serem levados ao hospital mais próximos na cidade de Candeias ou Salvador, e até que o auxílio não era dificultoso. Moradores da região comentam que essa baía já foi um lugar mais bonito no passado que nos dias atuais, mas tudo se acabou por causa das empresas que chegaram mudando a rotina dos moradores.


Ao Visitar o local, evitem sujar, não jogando sacos e garrafas plásticas, pontas de cigarros, copos descartáveis, e outros materiais que prejudique o meio ambiente; E o principal: Não ascenda fogo nesta área, pois a área é totalmente inflamável por ficar ao fundo do Porto de Aratu, de onde se origina produtos perigosos e de alta periculosidade. Preserve a Natureza! Nesse ambiente encontramos: iates, lanchas, jetski's, barcos, e outros, que embelezam mais ainda esse lugar principalmente nos fins de semana, onde os moradores da capital e ilhas vizinhas aproveitam o passeio para conhecer a Boca do Rio.
É Bom lembrar também aos banhistas que vão à prainha com seus meios de transportes marítimos, que se suspeitar de vazamento de óleo ou algo parecido, é bom que deixe um pouco afastado da beira do mar como fazem muitos tomando as devidas providências (O correto é examinar tudo antes de sair de casa).
Na próxima postagem, você vai ficar sabendo o tempo de decomposição de objetos no mar, e ao lado tem um artigo que fala sobre a preservação do meio ambiente; É bom que você leia!
Clicando Aqui você tem uma visão aérea do lugar para facilitar o seu trajeto ao vir de Salvador ou de regiões vizinhas.

Observamos que a cada dia vem chegando novas empresas para este lugar, vamos torcer para que essa área seja preservada, como foi mencionado na postagem que, essa região era muito bonita, mas com a chegada dessas empresas tudo foi pra o chão, e como esse povo terá moral para nos falar de meio ambiente?
Fonte: Blog Candeias Bahia

Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui
.

Tempo de Decomposição do Lixo No Meio Ambiente

Time decomposition of waste in the environment - O Mar, Por Exemplo, é um Meio Ambiente.
Anualmente, bilhões de toneladas de lixo são produzidas em todo o mundo, e boa parte deste vai direta ou indiretamente parar nos mares.
Uma vez no ambiente marinho, o lixo pode causar doenças e até a morte dos animais marinhos, bem como penetrar na cadeia alimentar, vindo a envenenar o próprio ser humano.
Segundo o Projeto Tamar-IBAMA, é comum a ocorrência de tartarugas mortas por asfixia ao ingerirem sacos plásticos, que são confundidos com itens de sua cadeia alimentar, como águas-vivas ou algas.
Outra conseqüência funesta produzida pelo acúmulo de lixo nos mares e praias é o prejuízo causado pela fuga dos turistas das praias poluídas.
O lixo que produzimos diariamente, seja o lixo urbano, industrial, etc., pode ser sólido, gasoso ou líquidos e ainda orgânico, biodegradável ou inorgânico. Boa parte de nosso lixo doméstico é orgânico, ou seja, tem origem vegetal ou animal, pois são compostos de restos dos alimentos, de folhas, etc. O lixo orgânico diferentemente dos outros tipos de resíduos tem uma maior capacidade de se decompor, o que não significa que não seja igualmente poluente. Mesmo o lixo orgânico quando depositado de forma inadequada pode ser altamente poluente do ar, do solo e da água, além de propiciar o desenvolvimento de bactérias e outros organismos transmissores de doenças. O lixo orgânico e o lixo biodegradável tem a capacidade de se decompor mais facilmente enquanto o lixo inorgânico quando jogado na natureza pode levar milênios até se decompor, reforçando assim a importância da coleta seletiva do lixo reciclável.

A tabela de tempo de decomposição de materiais é um poderoso instrumento de sensibilização que, invariavelmente, faz
as pessoas pensarem na sua responsabilidade individual com relação ao lixo. Há porém, muita variação da informação .
Isso se deve ao fato de que o tempo de decomposição deverá variar de acordo com as condições do solo ou ambiente em
que os materiais foram descartados.
Materiais descartados na água do mar, que tem condições de acidez, oxidação, entre outras que são próprias do mar, vão afetar o material de uma forma totalmente diferente do descarte dos mesmos materiais no solo.
De qualquer forma, dados como estes são implacáveis quanto a seguinte verdade: o lixo não acaba no lixo! Ele continua existindo depois que o jogamos na lixeira. Portanto é de extrema necessidade verificarmos todas as possibilidades de reintroduzí-lo na cadeia produtiva da reciclagem ou de aumentar o seu ciclo de uso e vida.
A natureza gasta uma energia vital para o equilíbrio do planeta nos longos processos de decomposição, assim os processos de tratamento do lixo como a reciclagem, os aterros sanitários, a incineração e a compostagem são ainda as melhores formas que o homem tem de lidar com o lixo que produz.
Fonte: Aquário de Ubatuba / Cultura
Meio Ambiente é o espaço que rodeia e influencia todos os seres vivos e as coisas em geral. É Um conjunto de realidades ambientais, considerando a diversidade do lugar e a sua complexidade.
Todos tem direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial á saída de qualidade de vida, impondo-se ao poder público e a coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para presentes e futuras gerações.
Na próxima Imagem você irá conhecer a coleta seletiva do lixo, pois cada quadrinho que há nessa imagem, é uma lixeira, e cada cor de uma dessa lixeira, representa um tipo de lixo. Coleta Seletiva é um processo que consiste na separação e recolhimento dos resíduos descartados por empresas e pessoas. Desta forma, os materiais que podem ser reciclados são separados do lixo orgânico (restos de carne, frutas, verduras e outros alimentos). Este último tipo de lixo é descartado em aterros sanitários ou usado para a fabricação de adubos orgânicos. Vejam na imagem abaixo como distribuir corretamente o lixo para reciclagem através de lixeiras com cores, e cada cor representando um tipo de lixo.

À Pedido de muitos leitores veremos agora mais alguns restos que causam mal ao meio ambiente e seu tempo de decomposição: Preservativo - 300 anos, Luvas de lã - 1 ano, Pacote de leite - 3 semanas, Rede de pesca - 600 anos, Casca de Banana - 2 anos, Faldas descartaveis - 200 anos.
A reciclagem do lixo assume um papel fundamental na preservação do meio ambiente, pois, além de diminuir a extração de recursos naturais ela também diminui o acúmulo de resíduos nas áreas urbanas. Os benefícios obtidos são enormes para a sociedade, para a economia do país e para a natureza. Embora não seja possível aproveitar todas as embalagens, a tendência é que tal possibilidade se concretize no futuro.
Na Imagem acima você pode ver o resultado do saco plástico jogado no mar por pessoas que não tem noção dos danos que são causados aos seres da vida marinha.
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Lagoa da CCC - Área de Proteção Ambiental


A Sigla CCC é oriunda do nome de uma antiga fábrica que havia na cidade em 1960, que significa Companhia de Carbonos Coloidais, onde a mesma fechou suas portas no ano de 1990, deixando um grande rastro de poluição quando no período de seu funcionamento muitos moradores da região próxima foram obrigados a venderem as suas casas a fim de se livrarem da tal poluição. Essa foi a primeira indústria petroquímica do estado da Bahia, mas agora vamos falar um pouco da lagoa:
Na primeira imagem você está vendo somente um pedacinho da lagoa da CCC, pois ela é mui grande, e vai da urbis I até o fundo do bairro da Nova Brasília (a matança), são 264, 49M2. Ao lado direito da foto, dá-se a impressão de que não há mais água nesse lado, mas existe ainda muito mais, é que foi feito um caminho semelhante a uma ponte com pedras e arenoso para dá acesso ao trem passar, e logo do outro lado da linha do trem, agente ver muito mais água e uma bela paisagem.
Ao Redor dessa lagoa estão preservados parte da flora de Candeias podendo ser visualizadas nas imagens dessa postagem, Aqui na lagoa você encontra: São Gonçalinho, Umbaúba, Buracica, dendê, jurubeba, mamona, Tiririca, e outros tipos de árvores juntamente com pássaros como: anum, lavandeira, bem-te-vi, papa-capim, martim pescador, assanhaço, frango e pato d'água, pardal, passo-preto, caga-sebo, socó, rolinha, curió, e Sem contar com outros visitantes e principalmente as garças que já fazem moradas nesse habitat natural em busca de pesca e outros alimentos. Conta-se também a presença de alguns animais como o tatu, que é uma das caças prediletas de alguns caçadores e os micos que vivem ao redor da lagoa.
Alguns boiadeiros usam a redondeza da lagoa para a criação de gados e cavalos, aproveitando assim as águas da lagoa para saciar a sede dos animais e em algumas partes aproveitam a área para banharem os cavalos, mas é uma pena que esse rio está sofrendo agressões ambientais do tipo sujeira e poluição, e a água não tem sido limpa nos últimos tempos; Numa das proximidades da lagoa existe uma pequena pista para disputa de corrida de animais, acontecendo o evento em alguns domingos do mês, com direito a prêmio e tudo mais.

Essa é a paisagem do lado direito da lagoa, você consegue visualizar assim do Colégio Yeda Barradas, com um dos melhores ângulos de visualização; Embora não mostre nessas imagens, mas ao lado esquerdo avistamos arvores alagadas pelas águas e que servem de habitat natural para as garças e outros pássaros que vivem ao redor da lagoa como foi descrito acima; Serve também de área de pesca para os moradores das regiões vizinhas a este lugar como: Matança, Urbis I, Guanabara, Nova Brasília, Nova Candeias, e sem contar com pessoas que vem de bairros mais distantes descontraírem um pouco com a pesca. Na lagoa podemos encontrar trilhas e caminhos poucos espaçosos, mas bem verdes, e perto desse espaço que visualizamos na foto acima, existe uma trilha que nos deparamos com o bairro da Nova Brasília, numa pequena comunidade chamada Matança, não que seja área de violência humana, mas o nome foi dado a esse lugar pelo motivo de haver próximo à comunidade muito abatedouros de gado, assim ficou conhecido o lugar; E Em outra trilha que fica próximo ao bairro da Urbis I, bairro que fica junto à lagoa, conseguimos acessar o Hospital Ouro Negro, e na divisa entre o Hospital e a lagoa fica uma bela área verde, bom pra se passear nos fins de tarde, lugar bem agradável. O que está precisando aqui na verdade é de um tratamento e uma restauração dessa lagoa; Houve comentários e promessas de restauração, mas até agora não vimos nada. Enquanto não chega esse período vamos nós mesmos evitarmos jogar lixos, entulhos, esgotos, e outras coisas a que venha prejudicar a natureza e o meio ambiente. Algumas pessoas como eu no caso, não fazem a mínima questão de construções no lugar, para que não perca a sua naturalidade, mas um tratamento ambiental estava bom demais, porque a lagoa pede socorro.
Além da lagoa, existem ainda outros rios na cidade que recebem o nome de: Imbiruçu, Joanes (que faz divisa com o município de Dias D’avila), Jacarecanga e São Paulinho.
Fonte: Blog Candeias Bahia
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

ilha do Topete


A ilha do Topete é a única ilha existente em nosso município, ficando embaixo da ilha divisória entre Candeias e Salvador, vizinha à ilha de maré pelo leste; De Caboto, ao norte; À ponta de Passé pelo sul; Conhecida também por alguns como Ilha Refúgio das Garças. A ilha possui Mais de 5.000 M2 e nos dias de Hoje, a ilha encontra-se privada e não é permitido a transição de pessoas estranhas, porque na ilha está "residindo" uma pessoa de classe alta, o empresário Eduardo Valente, possuindo na ilha uma área de eventos para shows e atrações, e num desses eventos acontece sempre o encontro promovido pela Yacht Brasil da Bahia, de onde o empresário é representante, contando com a presença de 500 a 600 convidados, onde se conscientiza a várias pessoas à preservação do meio ambiente, como: cuidar das praias e verdes, e o cuidado com reciclagens de materiais jogados nas praias tais como: copos descartáveis, garrafas plásticas, vidros, etc... Contando também com a presença de cantores baianos como: Daniela Mercury, Mariene de Castro, Toni Garrido, Ivete Sangalo e outros, agitando ainda mais a festa na ilha; veja na foto abaixo um dos eventos e como ele deixou a ilha, um belo cenário! A ilha ficou com um cenário muito bonito; O que antes servia de área de extração de frutos do mar para marisqueiros e pescadores da região, hoje esse mesmo lugar encontra-se privado; Que pena! Mas ainda tem algumas pessoas que praticam a pesca na ilha e extraem alguns mariscos de lá..

A ilha há umas duas décadas atrás era residida por um nativo da ilha de Maré, região bem próxima ao Topete, e esse nativo tinha por nome Valmir, que fez algumas plantações no lugar e onde o mesmo passou a fazer negócios com outro morador de ilha de Maré apelidado por Capuchino, dono de um bar e restaurante, foi quando esse homem chamado Capuchino negociou com Eduardo Valente, que passou a ser o dono do Topete até os dias de hoje, como foi citado na descrição acima.
Quando visitei a ilha ao seu redor fiquei surpreendido e feliz ao mesmo tempo porque na Ilha se conservou o decreto Nº 7.595 do dia 05 de Junho de 1999 pelo Governo da Bahia, onde determina a preservação da mata e das florestas e alguns estatutos diz assim:
Preservar os remanescentes da floresta ombrófila
Preservar os manguezais, assegurando a diversidade genética da fauna nativa e seus
Processos evolutivos naturais, em especial a avifauna migratória;
O que também percebi foi que, ao lado da ilha, agrupou-se um conjunto de garças que fez moradia nos manguezais existentes nessa região, usando a área para se reproduzir e passar os momentos de descanso; Elas formam um conjunto pela tardinha e saem voando para seu esconderijo e nem imaginava que um dos esconderijos delas seria na ilha do topete; Com certeza esse foi o motivo do Empresário chamar a ilha de: Refúgio das Garças.
Na próxima foto, um lindo cais que dá acesso à Ilha:

Fonte: Blog Candeias Bahia
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Rio Jacarecanga


O Rio Jacarecanga é mais um dos rios pertencente à cidade de Candeias, e um rio pouco historiado, conhecido também como Represa Jacarecanga. O Rio está localizado próximo ao distrito de Caroba, junto ao distrito de Madeira, e antes do distrito de Pasto de fora; Pasto de fora, distrito que foi oriundo de uma antiga estação de embarque e desembarque de trem que havia no local, e pelo motivo também de algumas indústrias do CIA-NORTE que se instalaram nos distritos próximos, o distrito fica pouco antes da estrada via Matoim.
O Rio é um dos mais belos de todos os rios existentes na região de Candeias; O Seu canal tem o formato da letra ”S”, cercado por campos verdes e à sua beira um tipo de capim verde claro meio amarelado, deixando o rio com uma aparência mais bela. Fica próximo também a algumas fábricas instaladas no distrito de Caroba, saindo em direção à Candeias, à BA-522, e entroncando para a via Matoim, como se estivesse indo à região de Caboto;
Esse é o único artigo postado na internet sobre o rio Jacarecanga, embora procurei pesquisas na biblioteca da cidade e nada fiquei sabendo sobre o rio, mas não demora e estarei recebendo informações de amigos que moram nessa localidade e postarei no blog.
Lembrando também que Jacarecanga é o nome de um engenho aqui da região, que no passado, pertencia a Cristóvão de Barros, que foi governador, foi quando o Barão de Cotegipe desposou a filha do Conde de Passé do engenho Freguesia, considerada na época, a maior herdeira da Bahia, recebendo deste consórcio o engenho de Jacarecanga. ___________________________________________________________Baixe Audio do Youtube Em MP3 Através do Site http://www.vidtomp3.com/index.php
Fonte: Blog Candeias Bahia
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Caboto - O Maior Potencial Turístico de Candeias


Para promover o povoamento das terras do Brasil de forma lucrativa para os portugueses, resolveram-se doar sesmarias, imensos lotes de terras, de tamanhos variáveis.
Em Candeias, a primeira sesmaria foi concedida em Caboto, em 1560, ao português Sebastião Álvares, Homem influente, que ostentava o título de cavalheiro da casa do rei de Portugal.
A região de Caboto foi uma das primeiras da Bahia e do Brasil a assistir ao florescimento da economia açucareira. Foi aqui onde tudo começou, com escravos trazidos da África pelos portugueses, sendo os mesmos eram obrigados a trabalharem nos engenhos de cana-de-açúcar rendendo assim lucro para os seus chefes, e sendo também que os escravos passavam por diversas torturas, a ponto de não suportar e atravessar o canal do rio Caboto a nado quando eram ameaçados pelos brancos, tendo acesso aos arraiais de ilha de Maré, achando assim o esconderijo como refúgio.
O Distrito é herdeiro da antiga freguesia que no passado tinha duas irmandades, uma composta de negros e outra composta de brancos; Caboto é um distrito À beira-mar onde você encontra vários restaurantes e bares que fornecem pratos de frutos do mar como: moqueca de siri, moqueca de peixe, catado de caranguejo, peixe frito, ostra, sarnambi e outros mais. Na atualidade é dos distritos com maior potencial turístico de Candeias.
Caboto é uma vila de pescadores e de pessoas simples onde a maioria deles vivem da pesca, mas a partir dos anos de 1970, com algumas indústrias que se instalaram no local, alguns estão dando prioridades em trabalhar nas mesmas, visando uma melhoria de salário, e pesca para esses, ficou como uma distração, um laser ou renda extra.
No local acontece também diversos eventos como: Etapas de Campeonatos baiano de maratonas aquáticas (Travessias a nado), clube do opala (Apresentações de diversos automóveis opala a passeio), grupos de ciclismos, o fuscaboto (evento promovido pelo clube de fuscas da Bahia) e outros que não citarei nessa postagem. Logo na imagem abaixo, um dos eventos que acontece na região, esse no caso seria uma travessia a nado realizada por atletas da capital.

Gostaria de fazer um apelo às autoridades de nosso município, que cuidem desse lugar, pois está abandonado, principalmente o engenho Caboto, que até casas estão construindo ao lado desse monumento histórico, necessita de ser conservado e não destruído. Vamos acreditar na reforma do engenho freguesia e que não demore muito.
Na próxima Imagem você ver a Bica, a vista lá de cima é bem agradável; aqui é onde o povo do distrito de caboto costuma passar algumas tardes se banhando e de preferência em companhia de alguém; É um lugar bem sossegado e pertinho do museu Wanderley Pinho. O que falta aqui é, que os Prefeitos de Candeias venham moldar esse lugar e tratar dele, pois é um lugar bastante agradável para quem visita e até mesmo quem mora por aqui.

Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Museu Wanderley Pinho


Localizado na enseada de Aratu, às margens da baía de Salvador, na localidade de caboto, esse era o que tinha por nome de Engenho Freguesia (Atual Museu Wanderley Pinho), constituído no século XVI quando a primeira sesmaria foi concedida ao português Sebastião Álvares, nessa mesma região em 1560 como foi citado na postagem anterior.
Quando as Sesmarias eram doadas, crescia o número de habitantes no lugar e com isso, o lucro crescia também porque a produção de açucar era bem maior com a mão de obra do povo (Muitos deles eram escravos trazidos pelos portugueses à região de Candeias), produto que era comercializado para várias partes do país e produto bem aceito no mercado europeu por ser de alto valor no tempo.
O Engenho era destinado à produção da valiosa substância doce, e hoje encontramos nele peças raras dos tempos antigos, apesar de que muitas delas foram furtadas por um descuido de algumas autoridades, ainda nele conseguimos avistar uma bela obra de arte dos séculos passados; Segue agora todo a história do Engenho data por data, ano por ano, com a fonte do IPAC-BA 1982: Em 1584 as mesmas terras passam para Sebastião Farias, filho do primeiro, Gabriel Soares descreve o conjunto: "grandes edifícios, assim de engenho como de casas de purgar, de vivenda e outras oficinas...". Em 1624/25 os holandeses atacam e incendeiam o engenho e a igreja Senhora da Piedade. Em 1680/90 o engenho é vendido a Antonio da Rocha Pita, Em 1760 Pertencia, nessa época, ao capitão Mor Cristóvão da Rocha Pita, neto de Antonio da Rocha Pita. Wanderley Pinho, devido ao fato de Cristóvão ter reconstruído a fábrica, sugere que poderia ter sido ele o construtor da atual casa. Nesta época, o engenho caboto é incorporado apo freguesia. Em 1848, Antonio Bernardinho da Rocha Pita e Argolo, futuro Conde de Passé, adquire o engenho e restaura o conjunto. Em 1877, com o falecimento do Conde de Passé, passa para suas netas, Maria Luíza e Antonia Tereza, e é administrado pelo Barão de Cotegipe. Em 1886, através de casamento com umas das herdeiras, o engenho passa a pertencer ao Dr. João Ferreira de A. Pinho e em 1900 o engenho deixa de moer. Foi liberada há um tempo uma verba através de um convênio feito com Petrobrás na responsabilidade de reformar o Engenho Freguesia, mas até agora nada se foi feito, mas vamos aguardar na esperança dessa bela arquitetura ser reformada e preservada, tanto por nós como pelas autoridades de Candeias.
Muita das informações desse conteúdo foi Obtida através do IPAC-BA, assim como dizia também que em 1817 reparos gerais foram feitos por Cristóvão da Rocha Pita, filho bastardo do homônimo Capitão Mor.
Em 1856 o Conde do Passe, Antonio Bernardinho da Rocha Pita e Argolo, restaura a casa de vivenda, fabrica e capela desta época. São seguramente as grades de balcões que substituíram os antigos varais de ferro do século XVIII. No forro de uma das salas da casa-grande, o Conde de Passe mandou pintar o seu brasão de armas.
Em 3 de Janeiro de 1968, o governo do estado da Bahia cria o museu do recôncavo Wanderley Pinho para servir de sede e em 1970 a casa-grande, capela e engenho são restaurados pela superintendência do Centro Industrial de Aratu e departamento de edificações públicas do estado da Bahia, sob orientação do IPHAN, para servir de sede ao novo museu, inaugurado em Fevereiro de 1971.

Na foto acima, as ruínas da fábrica do Engenho Freguesia (Atual Museu Wanderley Pinho) e na coluna direita do blog, existe uma pequena descrição sobre a fábrica e uma fotografia antiga de como era o lugar.
As Ruínas da localidade de Candeias tem sido alvo de profissionais, como: fotógrafos e amadores, que escolhem o local para um lindo book de noivos e fotografias de estilos variados como um dos exemplos do Grupo Lifelines administrado pelos amigos Laís e Sérgio Muricy, que ao chegar num dos lugares foram surpreendidos pelas ruínas do local e resolveram fazer um lindo book e o resultado dele você ver clicando Aqui

Na Foto acima, uma pequena locomotiva em ruínas.

Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Engenho Caboto


Edifício construído na fralda de uma pequena elevação à margem da baía de Salvador. Ao lado da casa existe um mangue, onde, provavelmente, estavam situados os viveiros de peixes de que falam as avaliações de 1812 e 1832. Não existem mais vestígios da capela, fábrica e cais primitivos. Próximas ao sobrado existem algumas casas de construção recente, de trabalhadores rurais. Entre 1857 e 1862, possuía o engenho freguesia-caboto, 1.100 tarefas e limitava-se com o engenho com o engenho monte, do tenente-coronel comendador Francisco Vicente Viana; Rio Guaíba e engenho marapé, de Francisco de Matos Villela.
Casa-Grande de engenho, inconclusa, de relevante interesse arquitetônico, hoje reduzida a ruínas. O Edifício apresenta planta quadrada desenvolvida em torno a um pátio tendo ao fundo um apêndice que provavelmente abriga serviços. A Casa-Grande possuía três níveis: um parcial. De utilização como serviço; Um piso nobre, onde está o acesso principal e o pátio; E Vestígios de um terceiro. Pelos remanescentes, pode-se avaliar a importância do grande saguão que se abria para o pátio através de três arcos plenos de tijolos que se apóiam sobre robustos pilares toscanos de cantaria, de seção retangular. Todos os vãos apresentam vergas em arco abatido. Com a morte, em 1760, de Simão Fonseca Pita e a incorporação do engenho ao freguesia, suas obras foram paralisadas. As vergas em arco abatido, de seus vãos, confirmam que este edifício teria sido construído pouco antes da morte de seu fundador. Casas de engenho com o mesmo partido só se encontram na região de Matoim, todas associadas à família Rocha Pita.

O Pátio de difunde na arquitetura civil urbana de Salvador ao final do século XVII, provavelmente, por influência dos tratadistas renascentistas. As construções deste tipo na região de Matoim parecem, porém, ter se inspirado diretamente dos claustros conventuais, através da solução adotada na região de Matoim. Pertencia, então, a Simão da Fonseca Sequeira, falecido em 1666. Seu neto, Simão Fonseca Pita, teria, na primeira metade do século XVIII, iniciado a atual construção.
Com a morte de Simão Pita, o engenho passa a seu sobrinho Antonio Cristóvão da Rocha Pita. Possuindo este último o engenho freguesia, incorpora ao mesmo Caboto, que pouco depois deixava de moer, sendo transferidos “seus cobres” para o freguesia. Morre Cristóvão da Rocha Pita, sendo subdivididas as terras do Freguesia-Caboto entre os herdeiros.
A avaliação assinalou como casa inconclusa “com seus prospectos de nobreza”. Capela arruinada e engenho caído, e viveiro de peixes com represa. É Feita nova avaliação que assinala melhorias na capela, então recoberta com telhas. O Futuro Conde do Passé, passa a comprar as terras do Freguesia-Caboto. Em 1856, já reunira 1.764 tarefas. No inventário do Conde do Passé figura a planta das terras dos engenhos Matoim, Freguesia, Pindoba e da Fazenda Caboto, que passaram a construir o engenho novo Caboto-Freguesia.
Fonte: IPAC-BA
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Usina de Biodiesel da Cidade


Essa é uma das mais belas artes industriais da nossa cidade Candeias, um belo cartão postal. A Petrobrás confirmou que a Usina de Candeias, foi a primeira das três unidades de biodiesel que foram construídas pela empresa; Na sua Inauguração no dia 29 de Julho de 2009, ás 10:00as da manhã, teve a presença do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do governador Jaques Wagner; A Unidade, instalada em Candeias (BA), terá capacidade para produzir 57 milhões de litros de biodiesel por ano.
A localização da Usina fica numa área agradável e verde, sem contar que o pôr do sol é um sucesso que embeleza mais ainda essa paisagem, por trás da usina fica o areal com vista para a lagoa da CCC, próximo ao bairro Nova Brasília e junto à comunidade da Matança; E Pra quem gosta de fotografar áreas verdes, é muito bom e aproveitável o local, com diversas trilhas, direcionando-nos a varias partes da cidade como: Bairros do Ouro Negro, Nova Candeias, Urbis I, Nova Brasília, Jabequara (Bairro pertencente à cidade de São Francisco do Conde), Guanabara e Centro.

Além das empresas citadas nesse blog, saiba o nome de algumas mais existentes em nosso município; Tais como: Alcan I, Alcan II, Dow Química (Atual Dow Brasil), Fertipar, Bunge, Rodoquímica, Transmelo, Agrofértil, Resarbrás, JL, Profertil, Mosac, Moliza, Plumatex, White Martins (Atual Ucar Carbono), Agricon, Betumat, Brasquímica, Metacril (Atual Proquigel), Union Carbide e outras prestadoras de serviços que trabalham para a Petrobrás. Lembrando também que a empresa Alcan passou a se chamar Novelis.

Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Rio São Paulinho


O Rio São Paulinho fica próximo ao entroncamento Candeias/São Francisco do Conde, e acredito que o rio recebeu esse nome devido à fazenda que existia também próximo a ele, a fazenda São Paulinho do coronel Ferreira, local onde foi descoberto o primeiro produtor comercial de petróleo do Brasil, e o rio é muito freqüentado por moradores dos bairros: Santa Clara, malembá de Baixo e Maria Quitéria; Os moradores aproveitam as horas vagas para praticar a pesca e a caça nessa região, pois na área do rio encontramos uma pequena parte da flora de Candeias com uma mata imensa onde é o habitat de muitos animais como a caça predileta dos moradores, que é o tatu, o bode do mato e pássaros que muitos consideram domésticos, o qual não se é permitido pelo IBAMA à criação dessas espécies. Aqui você encontra alguns pés de frutas, mas os principais são: goiaba e manga, onde várias pessoas da cidade inclusive do centro formam grupos em busca dessas frutas, principalmente no mês de Dezembro, que é o mês apropriado para muitos de ir ao Rio São Paulinho extrair o que há de bom na natureza, mas as frutas não são tão de boa qualidade; Muitas pessoas usam o medo como motivo em não querer banhar-se nas águas do rio e comentam que é um rio perigoso e de grande profundidade.
Fonte: Blog Candeias Bahia
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Bairro Malembá


Esse foi o único bairro de dentro da cidade que resolvi homenagear nesse blog pelo fato de eu gostar muito dele.
O Bairro do Malembá é o maior bairro de Candeias em área e população e em minha opinião o melhor pra se morar. Esse bairro originou-se de uma fazenda que existia em 1856 por nome de Fazenda malembá, pertencente a Laurentino Nolasco da Cruz, o qual vendeu essa mesma fazenda em 1927 para José Teodoro da Costa.
Em 1950 a fazenda foi desapropriada pela Petrobrás, que encontrou petróleo Próximo a Rua José Xavier, rua principal do bairro, e hoje quem não conhece a Rua do Poço? Acho que muita gente já ouviu falar, pois foi esse o nome que recebeu mediante ao poço de petróleo encontrado no lugar, o poço C-14, depois dessa fonte de petróleo ter secado, formou-se nesse lugar um enorme campo onde as pessoas praticavam diversos esportes e com isso, a Petrobrás resolveu leiloar esse terreno e por fim que se apossou do terreno foi a Igreja Assembléia de Deus, que hoje funciona em lugar desse campo de petróleo, com um imenso templo e um templo muito bonito.
Somente em 1970, começaram a lotear os terrenos da fazenda Malembá, iniciando-se pela Quadra I, onde hoje chamamos de Praça Milton Bucão, a qual você ver na foto acima. Na foto acima a praça do bairro, a praça mais arborizada da cidade, e o bairro é o mais frequentado de Candeias, mas é uma pena que essa linda praça está um pouco maltratada e sem manutenção. É composta de bastantes arvores, e arvores bela, mas esperamos a melhoria dessa praça o mais rápido possível, pois é a maior que temos na cidade.
Os Lugares mais conhecidos do bairro é: a Bica, o campo da caiçara (Já não existe mais), o buraco doce (onde fica a rua do poço) e o Conjunto Santa Cruz, de onde visualizamos alguns panoramas bonitos com vista para a Refinaria Landulpho Alves, São Francisco do Conde, Passé, Porto de Aratu, Ilha de Itaparica, Coqueiro Grande e também avistamos a capital Salvador.

Na Imagem acima, uma paisagem do areal, onde tem um lindo pôr de sol e um pequeno rio conhecido por muitos como: Rio do velho, onde muita gente em sua adolescência se banhava, e nesse mesmo areal em tempos de chuva formava-se grandes poças de águas limpa, que também servia de banho para muitos que se divertiam por aqui; Hoje com a destruição desse areal e a falta de chuva na região, essas pequenas piscinas não mais aparecem.
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

Refinaria Landulpho Alves (RLAM)


Logo após a descoberta do petróleo em Candeias no ano de 1941, houve a necessidade de se construir uma refinaria, de preferência, que ficasse próximo de onde flui a matéria prima, para facilitar melhor a passagem de petróleo pelos dutos, o mínimo de kilômetros possível, assim, nos anos de 1950 ergueram o começo de uma boa obra, a 6 km de Candeias, com mão de obra de pescadores, marisqueiros, trabalhadores rurais e povos de regiões e estados vizinhos ao nosso.
Do núcleo das operações de refino, a RLAM evoluiu e ocupa hoje uma área de 6.400.000Metros quadrados, uma verdadeira cidade industrial. Quando a Refinaria entrou em operação em Setembro de 1950, além da parte industrial, com suas torres, linhas, bombas e retortas já estavam prontas, na própria área da Refinaria, uma vila para abrigar os primeiros trabalhadores, sem contar que tinha sido construído num dos barracos: açougue, farmácia e um barbeiro. Em poucos anos, Mataripe transformou-se de uma fazenda abandonada, símbolo da decadência da oligárquica e escravista cultura canavieira, em um local em um local onde a indústria brasileira receberia o seu mais significativo impulso de modernidade tecnológica e onde o povo escravizado no Brasil como os afros ganharia através de seus esforços condições dignas de trabalho.
Em suas instalações funciona a maior unidade de craqueamento catalítico (fracionamento do petróleo com o uso de catalisadores) de resíduos da América Latina. Além disso, a refinaria conta com uma fábrica de asfalto, parques de armazenamento para petróleo e derivados, estações de carregamento rodoviário, uma estação de medição para produtos acabados, uma central termelétrica, uma estação de tratamentos de efluentes industriais e um sistema de tratamento de águas.
Diariamente, a unidade coloca no mercado dezenas de derivados, incluindo gasolina, diesel, GLP (gás de cozinha), nafta, óleos lubrificantes, parafinas, n-parafinas, solventes e querosene de aviação. Os produtos abastecem principalmente os estados da Bahia e Sergipe, mas são também enviados para clientes do sul e sudeste do país, além de exportados para países como Estados Unidos e Argentina.
Em constante modernização, a refinaria se prepara para colocar em operação novas unidades industriais que vão permitir produzir combustíveis menos poluentes. Com estes investimentos, a Petrobras trabalha para adequar a unidade às novas exigências da Agência Nacional de Petróleo (ANP) em relação ao teor de enxofre da gasolina e do diesel.
Fonte: Arquivo Petrobrás
Vale esclarecer aos leitores que, a RLAM, está construída em área de São Francisco do Conde, Região próximo a Candeias, porém os poços de petróleos são mais encontrados em área candeiense, de onde as imensas tubulações levam o petróleo até a refinaria originando assim a gasolina e outros derivados do petróleo.
Para melhor conhecer a história da RLAM, você pode também entrar no Blog Refinaria Landulpho Alves
Telefone de Contato da RLAM: (71) - 3604 2911
Visualize Todos Os Arquivos Desse Blog Clicando Aqui

O Blog é a Cara Da Cidade: Parado!!!